Soja trabalha com leves baixas em Chicago nesta 5ª e se ajusta à espera de novos números do USDA - Sistema FAERR|SENAR
Cotaçao Soja (Foto: FAESC)
  • Postado por: ASCOM/SENAR
  • 27 de Setembro de 2018 às 10:03
  • 21
  • 0

O mercado internacional da soja, nesta quinta-feira (27), trabalha com ligeiras baixas na Bolsa de Chicago, em um movimento de correção técnica após as últimas sessões de alta desta semana. As cotações, por volta de 7h40 (horário de Brasília), recuavam entre tímidos 1,50 e 1,75 ponto nos principais contratos. Com isso, o novembro/18 tinha US$ 8,48 por bushel.

Como explicam os consultores e analistas de mercado, os traders seguem buscando definir uma direção para os preços, uma vez que os fundamentos que regem os negócios neste momento já são conhecidos

As atenções se dividem entre a demanda - crescente pela soja americana dos países extra China e a movimentação da nação asiática na América do Sul - a colheita da nova safra americana, o plantio no Brasil, as condições de clima para ambas as realidades de trabalho de campo e as consequências da guera comercial entre China e EUA que segue em curso. 

"Os fundamentos que regem os preços da soja continuam focando nas variáveis domésticas dos Estados Unidos, entretanto esta tendência poderá tomar diferentes proporções, uma vez que as ofertas do farelo da soja disponível na China se mostram em constante ascensão, já atingindo os maiores níveis dos últimos 5 meses", explicam os analistas de mercado da AgResource Mercosul (ARC). "Este fator poderá impulsionar a compra chinesa da soja estadunidense num futuro próximo, mesmo com a vigência das tarifas aduaneiras de 25% sobre esta origem. Estoques de farelo na China são os mais baixos desde maio deste ano, em 938 mil toneladas", acredita a consultoria internacional.

Além disso, o mercado em Chicago se ajusta ainda às vésperas da divulgação do novo boletim de estoques trimestrais de grãos que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulga nesta sexta-feira (28). O mercado espera por um volume 33% maior do que no mesmo período do ano passado no caso da soja. 

Ainda nesta quinta-feira, atenção também ao novo reporte semanal de vendas para exportação que o USDA traz. Os traders esperam um intervalo de 600 mil a 1 milhão de toneladas comprometidas pelos EUA na próxima semana.

 Saiba mais em FAESC


Deixe seu comentário:

0 Comentário